Empresas de asseio e conservação recebem homenagem no Congresso


Pesquisa mostra importância do setor na economia
Brasília – As empresas de asseio conservação contribuem para o crescimento econômico do Estado com geração de empregos formais. No Rio de Janeiro, a pesquisa “A Força do Setor-Rio de Janeiro” mostra que o setor contratou, apenas no ano passado, mais de 210 mil trabalhadores. O documento será lançado, às 10h, desta segunda-feira (01/07) na Câmara dos Deputados, em Brasília, durante sessão solene de homenagem ao Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação do Estado do Rio de Janeiro (Seac-RJ).
“Essa é a primeira vez que o setor é destacado pelas contribuições dadas à sociedade. O Seac-DF aplaude a iniciativa do Congresso Nacional”, comemora Antonio José Rabello Ferreira, presente em exercício do Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação do Distrito Federal (Seac-DF).
Normalmente, as empresas do segmento são a porta de entrada para o mercado de trabalho para uma fatia expressiva da população. São profissionais de multisserviços, como área de limpeza ambiental, urbana, jardinagem, limpeza de fachadas e caixas d’água, controle de acesso e manutenção predial. Só no Rio de Janeiro, os 1,5 mil empreendimentos movimentaram entre R$ 5,5 e R$ 5,6 bilhões em 2012.  Quando o tema é contribuição, o Seac-RJ calcula que R$ 630 milhões sejam recolhidos anualmente em impostos federais.
O cenário na capital não é diferente. O Seac-DF estima que haja 280 empresas no setor e que estas empreguem aproximadamente 52 mil pessoas.
Segundo o estudo do Seac-RJ, deve haver um crescimento de 13% para o setor no biênio 2013/2014. “As empresas de asseio e conservação são fundamentais para a realização dos grandes eventos esportivos previstos para acontecer no Rio, como a Copa do Mundo 2014 e Jogos Olímpicos, de 2016”, destaca Ricardo Garcia, presidente do Seac-RJ.
Compartilhar

About Paulo Roberto Melo

0 comentários:

Postar um comentário