Limite de R$ 750 mil para financiamento no DF e em 3 estados

Depois que o governo cedeu à pressão do setor imobiliário e valor máximo de residências que podem ser compradas por meio do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) subiu.



O governo cedeu às pressões das construtoras e elevou ontem, em reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), o valor máximo dos imóveis que podem ser financiados pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), com recursos das cadernetas de poupança. A partir de hoje, no Distrito Federal, no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Minas Gerais, o teto sobe de R$ 500 mil para R$ 750 mil. Nas demais unidades da Federação, o limite passa para R$ 650 mil.

A medida visa impulsionar o setor, que, depois de uma forte alta de preços nos últimos anos, vem, recentemente, dando sinais de desaquecimento. Por tabela, o governo quer também estimular o mercado de trabalho e a economia, que vêm caminhando em ritmo lento. Quem contrata financiamentos no âmbito do SFH pode também utilizar recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para pagar prestações ou abater o saldo devedor. Com a mudança, os saques adicionais no fundo estão estimados em R$ 700 milhões.
Compartilhar

About Sistema Blogger Brasília de Comunicação

0 comentários:

Postar um comentário