Opinião: Robin Hood na prática: herói ou vilão?

Guilherme Marques Moura* Em 1534, Portugal dividiu o território brasileiro em extensas faixas de terra e repassou a administração aos capitã...

Guilherme Marques Moura*


Em 1534, Portugal dividiu o território brasileiro em extensas faixas de terra e repassou a administração aos capitães-donatários - apenas 15 ficaram responsáveis pela ocupação no país. Após quase 500 anos, o cenário é similar: a riqueza do Brasil  ainda está concentrada nas mãos de poucos, tornando a desigualdade na distribuição de renda um fator marcante na história brasileira. Apesar da concordância quanto à necessidade da redução dessa disparidade, não existe consenso sobre como resolver o problema. Dentre as soluções  mais debatidas, vale destacar a taxação de grandes fortunas.

À primeira vista, esse imposto "Robin Hood" aparenta ser positivo somente para os mais pobres, e causar apenas um pequeno efeito negativo na vida dos mais ricos, afinal, eles continuarão ricos. Entretanto, a consequência prática dessa mudança sobre a sociedade brasileira é incerta e duvidosa. O que se sabe é que ter mais é sempre melhor que ter menos, pois, em todo o tempo,  buscamos alcançar mais prosperidade. Nesse sentido, com a instituição de um imposto sobre grandes fortunas, os mais ricos podem se deparar com três situações: não ter riqueza contábil, não aumentar sua fortuna ou manter seu dinheiro em países que não tributam a riqueza. No primeiro caso, os indivíduos mais ricos podem utilizar estratégias contábeis para diminuir o pagamento do imposto, manipulando a contabilização de seus rendimentos, de tal modo que o montante pago de imposto possa ser menor com a cobrança desse encargo. Dadas às peculiaridades do sistema tributário brasileiro, esse é um resultado esperado.

No caso anterior, pressupomos que os mais abastados, apesar de terem que pagar mais impostos, continuem tentando aumentar seu patrimônio. Mas isso nos leva a um paradoxo: se passarmos a ser  penalizados por termos mais dinheiro,  por que então ficarmos mais ricos? Qual a vantagem de realizarmos esse esforço se o prêmio é baixo? Dessa forma, a tributação da riqueza pode diminuir os investimentos produtivos no país, e comprometer também, o emprego, a renda e a arrecadação de impostos (mas o objetivo não era aumentar a arrecadação de impostos?). A redução do investimento no país é ainda pior quando analisada em um mundo globalizado, no qual os investidores buscam nações onde o seu lucro possa ser maior.

Nesse contexto, se o governo brasileiro aplicar o imposto sobre as grandes fortunas, vamos constatar a migração dessas riquezas para países onde não existe essa tributação. Consequentemente,  a geração de emprego e renda ocorrerá nesses lugares, assim como, o pagamento de tributos. Adicionalmente, diversas empresas já abandonaram a produção no Brasil alegando que as tarifas  são muito elevadas no país. Dessa forma, o efeito direto de um imposto sobre riquezas é justamente a diminuição da riqueza do país, seja contábil ou real, o que já foi registrado em várias partes do mundo. Mas afinal, estamos discutindo transferência de riqueza ou de pobreza?

Apesar de nobre, a história de Robin Hood dificilmente ocorre na prática, tanto que, apesar de previsto na Constituição federal, esse encargo jamais foi regulamentado. Em linhas gerais, o resultado direto do imposto sobre grandes fortunas é a transferência da riqueza e da produção para outros países, comprometendo a geração de empregos e a arrecadação dos governos e, logo, a renda dos mais pobres. De fato, a diminuição da desigualdade não ocorre retirando dos ricos para dar aos pobres, mas sim, com a melhor aplicação dos recursos existentes, com a promoção de igualdade de oportunidades e com aumento da produtividade do trabalho. E ainda existe outra questão importante a ser respondida: a receita desse imposto realmente seria enviada aos mais pobres?

*Guilherme Marques Moura, doutor em Desenvolvimento Econômico, é professor da Escola de Negócios da Universidade Positivo (UP).

COMENTÁRIOS

Atualidade Politica

JUSTIÇA$type=two$author=hide$comment=hide$readmore=hide$date=hide

EDUCAÇÃO$type=sticky$count=4$l=0$rm=0$a=0$cm=0$m=0

CIDADANIA$type=carousel$count=4$l=0$cm=0$rm=0$d=0

ECONOMIA$type=complex$count=4$l=0$cm=0$rm=0$d=0

Nome

# Empreender Brasília,1083,Adoçando a vida,2,agro,7,alimentação saudável,6,Aline Sleutjes,2,almoço,2,amigos,2,Aprovado,1,Arraiá em Casa,1,artigo,64,atacarejo,2,atividade física,1,bazar,1,bebê,1,bichinhos de estimação,1,bolinho de chuva,1,bom humor,1,Brasi,1,Brasil,165,Brasil Certo,253,brasilia,554,Brasília,619,Brasília Empreendedora,3064,cachorro,1,Caipirinha,1,capadr,1,Capital Empreendedora,2317,caravana do leite,1,carnaval,1,carne,1,carne assada,2,Carreira profissional,1,Carro novo,1,ceilândia,1,Chocolate faz bem,1,Churrasco,2,Cidades,852,CLDF,137,Com cinco unidades no Distrito Federal,5,comércio,1,comida na mesa,2,comida saudável,1,Comper,1,Compras de mercado,2,Condomínio,127,Condomínios,9,Confraternização,1,congresso,1,conselho,1,coronavírus,1,covid19,1,cuidados com o bebê,1,cura da ressaca,1,cursos gratuitos,4,Delmasso,1,Deputada do Agro,1,deputada federal,1,deputadadoagro,1,Detran-DF,2,Dia da Cachaça,1,Dia da Pizza,1,dia do atleta,1,Dia dos Avós,1,dica,9,dieta da alegria,1,Distrito Federal,108,doce,1,economia,68,educação,2,Embaixadas,1,empreendedorismo,2073,empreendedorismo social eventos,53,empreender,1581,empreender Brasília,1593,empresas,4,esporte,1,Esportes,2,Eventos,265,família,4,Férias com Arraiá,1,Festa do Chope,1,Festival da Feijoada,1,festival de guloseimas,1,Fica a Dica,100,fim de ano,1,fim de semana,2,foco nacional,50,fort atacadista,30,gato,1,geral,198,gestão,425,Goiás,27,grupo pereira,1,Habitação,1,inovacao,318,internacional,2,Internet,4,José Gomes,2,justiça,6,lista de compras,1,Mercado Pet,1,Mulher Empreendedora,4,mundo,7,NATAL,1,negocios,624,Negócios,3,noticias,2279,notícias,2758,OAB,50,opinião,254,ovos caseiros,1,pandemia,104,panetone,1,Páscoa 2022,3,pele bonita,2,pets em casa,1,Prêmio Empreender Brasília,220,presente de Natal,1,Presidente Bolsonaro,1,Projeto de Lei,1,promoção,1,Promoção de fraldas,1,promoções,1,renda,166,reunião,1,saúde,7,SINDIVAREJISTA,1,sleutjes,1,Solidão,1,Solteiro e Feliz,1,sorteio,1,sorteio de carros,1,Sorteio de prêmios,1,superação,1,supermercado,1,Sustentabilidade,36,Tecnologia,9,trabalho,230,Troco Solidário,2,Turismo,159,Utilidades,1,Vacinas,1,Vagas de emprego,1,vagas de emprego PCD,1,Varejo,1,Varejo no Brasil,1,vinho,1,
ltr
item
Empreender Brasília: Opinião: Robin Hood na prática: herói ou vilão?
Opinião: Robin Hood na prática: herói ou vilão?
https://1.bp.blogspot.com/-HeOa2xBNbRU/YPXIpR8y0ZI/AAAAAAAABaQ/hEYBxmQSE2M2YwYJp7-Soezih8Cw3oFrACLcBGAsYHQ/s320/Guilherme-Moura.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-HeOa2xBNbRU/YPXIpR8y0ZI/AAAAAAAABaQ/hEYBxmQSE2M2YwYJp7-Soezih8Cw3oFrACLcBGAsYHQ/s72-c/Guilherme-Moura.jpg
Empreender Brasília
https://www.empreenderbrasilia.com.br/2021/07/opiniao-robin-hood-na-pratica-heroi-ou.html
https://www.empreenderbrasilia.com.br/
https://www.empreenderbrasilia.com.br/
https://www.empreenderbrasilia.com.br/2021/07/opiniao-robin-hood-na-pratica-heroi-ou.html
true
5829299289675945787
UTF-8
Carregar todos Post não encontrado Ver Todos Ler Mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGS POSTS Ver TUDO RELACIONADAS TÓPICO ARQUIVO BUSCAR TODOS A busca não retornou respostas Início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora 1 minuto há $$1$$ minutos 1 hora há $$1$$ horas Ontem há $$1$$ dias há $$1$$ semanas há mais de 5 semanas Seguidores Seguir CONTEÚDO EXLUSIVO - COMPARTILHE PARA ACESSAR 1º Compartilhe em suas redes sociais para liberar 2º Clique no link compartilhado em sua rede social Copiar TUDO Selecionar TUDO Todos os códigos foram copiados Códigos/textos não copiados, pressione [CTRL]+[C] (ou CMD+C no Mac) para copiar Sumário