NEGÓCIOS

GDF Contra a Covid-19

 

Ação beneficiará crianças, adolescentes, jovens e famílias em situação de vulnerabilidade social

Sempre preocupada com a educação, a Legião da Boa Vontade (LBV) atua há décadas, por meio de diversas ações, para ajudar a garantir esse direito tão importante e necessário às crianças e aos jovens. Para tanto, a instituição realiza anualmente a campanha Criança Nota 10 — Proteger a infância é acreditar no futuro!.

 

A tradicional campanha entrega kits de material escolar para milhares de crianças, adolescentes e jovens de famílias em situação de vulnerabilidade social no país. Neste ano, por conta da pandemia da Covid-19, a LBV também os proverá com cestas de alimentos e kits com produtos de limpeza.

 

O material escolar é um incentivo para que meninas e meninos possam continuar os estudos, seja de forma presencial ou remotamente, por causa da pandemia, buscar o aprendizado e realizar seus sonhos. Os alimentos vão complementar a refeição delas, e os produtos de limpeza é para que continuem se prevenindo do novo coronavírus.

 

Até março, serão entregues ao todo, 25 mil kits de material escolar, compostos de itens de acordo com faixas etárias, tais como mochila, cadernos, lápis, régua, canetas, estojo, entre outros; 30 mil cestas contendo arroz, feijão, óleo de soja, açúcar, macarrão, farinha de mandioca, fubá, extrato de tomate e sal; e 30 mil kits de limpeza com sabão em pó, água sanitária, desinfetante e detergente.

 

As doações para a campanha Criança Nota 10 — Proteger a infância é acreditar no futuro! podem ser feitas diretamente no site www.lbv.org ou pelo telefone 0800 055 50 99. Para outras informações sobre essa ação solidária, basta acessar o endereço @lbvbrasil no Facebook, no Instagram e no YouTube.



A partir da próxima semana, a Autorização Eletrônica para Transferência de Propriedade de Veículo estará disponível também no aplicativo Detran Digital. Se liguem nas ações educativas da semana



O Departamento de Trânsito do Distrito Federal já disponibilizou, no Portal de Serviços, a emissão da Autorização Eletrônica para Transferência de Propriedade de Veículo (ATPV-e) para pessoa física e, a partir da próxima semana, este serviço também estará disponível no aplicativo Detran Digital. A emissão do CRLV-e está normalizada tanto pelo Portal de Serviços (portal.detran.df.gov.br) como pelo aplicativo


De acordo com Resolução 809/2020 do Contran, publicada no Diário Oficial da União em 24 de dezembro de 2020, a ATPV-e será utilizada para transferir a propriedade de veículos e deve ser expedida somente quando o proprietário for vender o veículo, momento em que ele faz a solicitação do documento eletrônico, informando os dados do comprador para que o órgão de trânsito emita a autorização com todos os dados preenchidos e com o QR Code de segurança. Depois, o proprietário deverá levá-la ao cartório para fazer o reconhecimento de firma e ao Detran para a efetivação da transferência de propriedade.

Resolução
Por meio da Resolução nº 809/2020, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) unificou todas as informações de licenciamento anual e de propriedade dos veículos em um único documento e determinou o fim do Certificado de Registro de Veículo (CRV) impresso em papel-moeda, a partir do dia 4 de janeiro de 2021 – data em que entrou em vigor.

Com a mudança, que vale para todo o Brasil, tanto as informações de propriedade como do licenciamento do veículo ficarão reunidos no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo em meio digital (CRLV-e). Para transferir a propriedade, foi criada a Autorização para Transferência de Propriedade do Veículo (ATPV-e) e, com isso, nenhum órgão de trânsito poderá fazer mais a impressão de documentos, inclusive o Departamento de Trânsito do Distrito Federal.

Para os veículos registrados antes de 4 de janeiro, continua valendo o CRV que já havia sido impresso em papel-moeda e deve ser utilizado para transferir a propriedade. Quando esse proprietário for vender o veículo, segue o mesmo procedimento atual: preenche o verso do documento com os dados do comprador, reconhece firma no cartório e, por fim, o comprador vai ao Detran para efetivar a transferência. No entanto, em casos de rasura ou extravio, o proprietário deverá solicitar a ATPV-e ao Detran, uma vez que a impressão de CRV foi extinta pelo Denatran.

Para atender às necessidades de Pessoa Jurídica, o Detran está desenvolvendo um módulo específico do Portal Serviços, onde será possível gerar o ATPV-e e o CRLV-e.



Atividade de despachantes tem nova regulamentação
 A atividade de despachantes junto ao Departamento de Trânsito do Distrito Federal tem novas normas. A Instrução nº 34, publicada no Diário Oficial do Distrito Federal desta quarta-feira (20), traz as regras para o credenciamento de empresas prestadoras de serviço de despachantes.

 Além de restringir o credenciamento à pessoa jurídica com sede no DF, cujo proprietário ou funcionários tenham registro junto ao Conselho Regional de Despachantes Documentalistas do Distrito Federal (CRDD/DF), a nova regulamentação estabelece que os serviços sejam prestados prioritariamente de forma digital e define claramente as atribuições e responsabilidades dos despachantes.

 "Reconhecemos a importância dos despachantes na prestação dos serviços do Detran à população e trabalhamos para que esta parceria seja fortalecida com regras claras e engajamento desses profissionais na nova fase que vivemos, de digitalização dos atendimentos", afirma o diretor-geral do Detran, Zélio Maia, lembrando o protagonismo assumido pelos despachantes durante a pandemia de Covid-19.

De acordo com a Instrução, todo o processo de credenciamento de empresas prestadoras de serviços de despachante será informatizado. A pessoa jurídica interessada deverá apresentar requerimento próprio ao diretor-geral do Detran e a documentação que comprove habilitação jurídica e fiscal necessária para o credenciamento, por meio do sistema on-line, que será disponibilizado no Portal de Serviços da autarquia em até 90 dias, a contar da publicação da Instrução. Depois disso, a empresa receberá uma visita técnica, onde serão verificadas as condições de prestação do serviço e demais critérios estabelecidos na legislação. Poderão ser credenciados até três despachantes vinculados a cada empresa.

Instituições públicas e privadas
A nova regulamentação traz a possibilidade de instituições públicas e privadas solicitarem credenciamento de representantes para tratar de assuntos de interesse exclusivo de sua frota de veículos. Para tanto, o servidor ou empregado credenciado também deverá ser registrado no CRDD/DF.

Solenidade
Na quinta-feira (14), o diretor-presidente do CRDD/DF, Luciano Pinon, esteve presente em solenidade de assinatura da Instrução, pelo diretor-geral do Detran, Zélio Maia, no auditório do Detran Sede. Na ocasião, ele reforçou o compromisso do Conselho com a modernização das atividades dos despachantes e o apoio às inovações tecnológicas implementadas pelo Detran.


Número é 33% maior do que volume do ano passado e há previsão de que valor possa chegar a R$ 135 milhões. Agência também adota medidas para analisar solicitações de novos contratos em até três dias


Caiado comemora números da GoiásFomento: 2021 já tem mais de R$ 107 milhões disponíveis para crédito. Oferta é fundamental para proteger empreendedores, movimentar economia, e gerar emprego e renda - Foto: Pedro Castro

A perspectiva de um cenário econômico melhor e de aquecimento do setor produtivo com a vacinação da população contra a Covid-19, em 2021, mostra dados animadores para o mercado de crédito. O Governo de Goiás, por meio da Agência de Fomento de Goiás (GoiásFomento), começa o ano com R$ 107 milhões disponíveis em diversas linhas de financiamento, 33% a mais do que os R$ 80 milhões liberados em 2020.  O número pode ser ainda mais promissor e chegar a R$ 135 milhões.

"O Estado tem que facilitar as coisas para o empresário", considera o governador Ronaldo Caiado. Para ele, a oferta de crédito é fundamental para proteger os empreendedores, movimentar a economia, e gerar emprego e renda. "Graças a Deus estamos dando conta de mostrar o potencial que Goiás tem", afirma.

Segundo o presidente da agência de fomento, Rivael Aguiar, a previsão para esse ano é que ocorra um aumento dos valores utilizados em investimentos. "Para ampliação, troca de maquinários e equipamentos, ou mesmo reformas. Representam ações estruturantes de ampliação ou modernização", explica.  

Em 2020, os valores foram empregados como capital de giro. "As empresas precisavam de socorro. Os recursos foram utilizados para sobrevivência, pagar despesas fixas e com pessoal. O objetivo era manter o funcionamento mínimo para não fechar", analisa Aguiar.

Do total previsto para liberação em 2021, a linha de crédito com mais recursos é a do turismo, cerca de R$ 45 milhões. "Foi uma das áreas mais afetadas pela pandemia", justifica o titular da GoiásFomento. Em seguida vem o microcrédito, com R$ 40 milhões, destinados a qualquer empreendedor, que poderá solicitar até R$ 21 mil. Para inovação tecnológica, o volume será de R$ 16 milhões.

Segundo Aguiar, existem alguns requisitos comuns para aderir ao financiamento, como possuir o nome da empresa sem restrição no sistema de crédito (SPC, Serasa e Banco Central) e não ter dívidas vencidas com instituições financeiras; entre outras. A apresentação de capacidade de pagamento da dívida também é uma requisição. No caso de implantação de empresa, é necessário demonstrar que o empreendimento é viável e sustentável.

Auxílio

Desde o início da pandemia, o Governo de Goiás adotou medidas facilitadoras para a contratação de crédito. Um dos principais gargalos eram as exigências de certidões negativas. "Mas foi dispensado durante a pandemia", diz Rivael.  Além disso, o Estado passou a oferecer fundo de aval em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e firmou convênio com a Sociedade Garantidora de Crédito (SGC). As duas ações possibilitaram que empresas que antes não conseguiam pegar empréstimos passassem a ter acesso ao financiamento.  

Para 2021, há mais novidades para os clientes da instituição financeira. Está prevista a implantação de um novo sistema, totalmente digital, sem a necessidade de uso do papel. "Temos a expectativa de que, para algumas linhas de crédito, a análise ocorra em até três dias. Hoje, a média está em torno de 20 dias", compara o presidente da agência.

É também meta da GoiásFomento investir em divulgação para que os empreendedores tenham conhecimento das ferramentas que podem ser utilizadas. "Estruturamos uma gerência de prospecção de negócios, que vai fazer um trabalho de campo nos principais ramos comerciais, como a região da 44 e as feiras", informa Aguiar. A instituição também vai ofertar máquinas de cartão de crédito neste ano, com condições mais favoráveis do que as disponibilizadas pela maioria do mercado.

   Com um período de recesso atípico causado pela pandemia, as famílias residentes em condomínios precisam se atentar as medidas de prevenção a Covid-19, para que a diversão não seja atrapalhada pela doença


Dr. wilker – Foto Divulgação

O período de férias escolares se iniciou, e diferente dos outros anos, a pandemia da Covid-19 fez com que muitas pessoas cancelassem suas tradicionais viagens em família, fazendo com que muitos moradores precisem recorrer aos recursos disponibilizados pelos condomínios para assegurar a diversão da criançada. Com esse período de férias atípicas, um dilema surge para a gestão condominial: Como garantir a diversão dessas famílias, respeitando as medidas de prevenção e combate ao novo coronavírus?

O advogado especialista em assuntos condominiais, Dr. Wilker Lucio Jales, explica que é papel dos responsáveis pela gestão de cada condomínio, a elaboração de roteiros e cronogramas para que todas as famílias tenham acesso às áreas comuns com segurança. “É importante que os síndicos, juntamente com os outros membros da gestão condominial, elaborem um cronograma onde os moradores possam realizar a reserva de horários para o uso de espaço comuns dos condomínios, como piscinas, playgrounds, quadra de esportes e brinquedotecas. Assim, é possível controlar o fluxo de moradores nesses espaços, evitando aglomerações e garantindo que não haja contágio“, ressalta o especialista.

Para Wilker, é necessário que no cronograma também seja reservado um tempo extra para a higienização desses ambientes, trazendo mais segurança para os moradores. O especialista ainda destaca que os condomínios podem elaborar atividades de recreação para os moradores, como cinema drive-in nas garagens, apresentação de grupos musicais e gincanas virtuais através de lives. “Soltar a criatividade é a grande peça chave nesse período, pois apesar das opções serem limitadas, ainda é possível realizar diversas atividades recreativas. Pensar no bem estar dos condôminos agrega valor à gestão condominial, o que trará benefícios e boa convivência no futuro”, completa o advogado.

Sobre o Dr. Wilker Lucio Sales – Advogado inscrito na OAB Seccional de Brasília-DF sob o n° 38.456, militante no Distrito Federal e Estados vizinhos, sócio proprietário do escritório Jales & Gomes Advogados, com atuação nas áreas cível, contratual, imobiliário e condominial desde 2013. Especialista em Direito Civil, Processual Civil, Imobiliário, Negocial e em Direito e Parlamento, com artigos publicados no Portal Condomínio no Play, tendo realizado diversas palestras em condomínios.

SERVIÇO
Dr. Wilker Lucio Jales

Mídias:
https://www.instagram.com/wilkerjales/


 

Enquanto a população não está imunizada contra a Covid-19, pais e responsáveis têm se desdobrado para irem até as papelarias fazerem as compras do material escolar, evitando aglomerações, respeitando regras sanitárias e, claro, de olho nos preços para economizarem o quanto for possível. 

 

Pelo 13º ano, o Grupo Sabin, presente em 12 estados brasileiros e no Distrito Federal, vai realizar a compra de material escolar para os filhos de seus colaboradores. Neste ano atípico, esse benefício tornou-se ainda mais valioso. A empresa de medicina diagnóstica oferece a todos os colaboradores a opção de receber os materiais diretamente em suas residências ou de realizar apenas a retirada na papelaria, evitando aglomeração na hora de adquirirem os itens.  

O benefício, tem o intuito de ajudar seus colaboradores a economizarem tempo e recursos na busca pelos itens escolares. 

 

A gerente de Desenvolvimento Humano e Organizacional do Sabin, Karine Hepp Guimarães, explica que o bem-estar dos colaboradores é uma das prioridades da empresa. “O EducaSabinAção, assim chamado pelo grupo, foi pensado para que nossos colaboradores possam desfrutar de mais tempo com a família e contar com a ajuda da empresa para efetuar negociações na compra desses materiais. Quando temos um colaborador satisfeito e feliz, temos maior engajamento”, explica. 

 

A negociação que o Sabin realiza diretamente com fornecedores e empresas responsáveis pelos itens da lista rendem descontos de, em média, 30% e o valor pode ser parcelado em até quatro vezes sem juros no contracheque.  

 

EMPREENDEDORISMO

GDF Contra a Covid-19