Evento em Brasília é oportunidade para quem quer iniciar atuação no setor previdenciário

Após dois anos de aprovada a última Reforma da Previdência (PEC 103/2019), ainda são muitos os desafios para quem quer se aposentar e para os advogados que atuam na área. As regras de transição, a dificuldade de identificar o melhor momento para requerer a aposentadoria estão entre algumas das dificuldades que estão postas.

 

Para discutir estratégias de como atuar neste mercado, um grupo de advogados especialistas em Direito Previdenciário vai se reunir em um evento aberto ao público e gratuito.

 

“Quanto mais falarmos sobre o assunto, quanto mais informações qualificadas circularem entre operadores do Direito, sejam eles advogados, procuradores, juristas, mais fácil será nossa atuação como profissionais e mais fácil será o acesso dos segurados ao seu benefício”, afirma a advogada doutoranda e mestre em Direito Previdenciário, Thais Riedel, uma das palestrantes do evento. Thais é presidente do Ibdprev - Instituto Brasiliense de Direito Previdenciário e da Associação Confederativa Brasileira da Advocacia Previdenciária – Acbrap.

 

Também participam do evento Washington Barbosa, mestre em Direito das Relações Sociais e Trabalhistas, Theodoro Agostinho, doutor e mestre em Direito Previdenciário, Thiago Albuquerque, especialista em Direito Previdenciário, Alex Sertão, especialista em Direito Previdenciário, Alex Sandro, advogado e especialista em Previdenciário.

 

O evento ocorrerá no Lets Idea Brasilia Hotel, que fica no SHN q. 5 bl. B. Começa às 17h30, com um coffe break e as inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site https://bityli.com/KHQ1l


Junto com o vigor típico dos mais jovens, nova geração de empresários trazem consigo visões de administração diferentes, algumas até consideradas ousadas



Dados do Sebrae apontam que a idade média do empreendedor brasileiro é de 44,7 anos. Porém, há bom tempo essa idade vem caindo e o perfil do empresário brasileiro tem sido cada vez mais jovem. Segundo levantamento da consultoria internacional Monitor Global do Empreendedorismo (GEM), os empreendedores jovens no Brasil dobraram de 2009 até 2019. Atualmente, dos cerca de 24 milhões de brasileiros na faixa etária de 18 e 24 anos, 8 milhões já possuem o seu próprio negócio. Conforme esse mesmo levantamento, quase metade dos empreendedores brasileiros (49%) têm entre 25 e 44 anos.

Segundo especialistas, junto com o vigor típico da juventude, novos empresários trazem consigo novas visões de administração. O engenheiro civil Andreyve Melo e o administrador de empresas Gabriel Caixeta tinham 25 anos quando, há seis anos, decidiram fundar a Skyline Inovação e Produções, empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais para empresas do mercado imobiliário. Os dois fazem parte de uma nova geração de empreendedores que começa a trazer novos conceitos de gestão, que hoje podem até parecer ousados pela maioria dos empresários no Brasil, mas seguramente já são tendência em fortes marcas gigantes como Google, Facebook e LinkedIn.

Imagine você chegar para uma entrevista de emprego e ao entrar na empresa dá de cara com uma mesa de sinuca e outra de pebolim (ou totó); no lugar de uma recepção fria e formal você encontrar uma sala a com pufes e enormes poltronas para relaxar e ler o que quiser; as posições de trabalho são todas coloridas e decoradas bem ao estilo de quem as usa, com fotos, bonecos e até brinquedos; e mais, na copa da empresa muitas guloseimas e uma geladeira cheia de suco, refrigerante e cerveja.

A descrição acima traz um pouco do que você irá encontrar na Skyline dos jovens empresários Gabriel Caixeta e Andreyve Melo, que têm como uma das principais premissas de sua gestão o foco no bem-estar da equipe. Para eles, investir num ambiente de descompressão com espaço para o colaborador descansar e até se distrair um pouco, não é uma simples benécia, mas sim uma estratégia para conseguir mais produtividade do funcionário.

Por produtividade
Mas é claro que não é apenas o ambiente jovem e descontraído que tem levado a empresa a uma alta produtividade. Os benefícios oferecidos pela Skyline vão além do local de trabalho descolado. Os colaboradores são todos contratados em regime celetista (com carteira assinada), mas além do salário fixo, eles também ganham por produtividade, e não há cobrança de horários fixos.

De acordo com Gabriel Caixeta, o ambiente descontraído e de liberdade nunca comprometeu a cobrança e o cumprimento de metas. “Como cada colaborador tem participação financeira nos projetos que são entregues, todos se engajam de verdade. Afinal, eles sabem que quanto melhor a produtividade, melhores serão os seus próprios ganhos financeiros. Já tivemos aqui casos de colaboradores que chegaram a triplicar o valor do seu salário base no fim do mês”, esclarece Gabriel.

Estímulo
De acordo com Andreyve Melo, oferecer um ambiente de trabalho descontraído é importante para o negócio da Skyline e vai muito além de proporcionar conforto à equipe. “Estudos já comprovaram que ambientes de descompressão na empresa estimulam não apenas o bem-estar dos funcionários, mas a criatividade, reduz significativamente o nível de estresse e fortalece a conexão entre as pessoas, fortalecendo o trabalho em equipe. Todos esses aspectos agregam muito na disposição do colaborador, e consequentemente na produtividade da empresa, que no nosso caso, nunca teve problema em bater metas”, esclarece Andreyve. Além do bônus por produtividade, a empresa também dispõe de recursos para financiar cursos para seus colaboradores e recentemente passou a disponibilizar plano de saúde para seus funcionários.

De acordo com Andreyve e Gabriel, a manutenção desse ambiente de trabalho leve, de descompressão e altamente produtivo passa pelo acompanhamento de métricas e pelos feedbacks que são feitos individualmente com cada colaborador.

Eles explicam que esses momentos de retorno e devolutiva dos funcionários é sempre feito num formato de um bate-papo, sem a típica, e muitas vezes incomoda, formalidade que se tem nas empresas mais tradicionais. “O objetivo dos feedbacks mensais é, basicamente, avaliar como está o clima da empresa, a sinergia do time, detectar anomalias nos processos e comportamentos, saber como o colaborador está pessoalmente, se ele está vivendo um momento difícil ou não, e se a empresa pode ajudar”, explica Gabriel.

Mudança de cultura
Andreyve Melo e Gabriel Caixeta reconhecem que a proposta de gestão que adotam em sua empresa pode ser considerada ousada, se comparada com a esmagadora maioria das empresas brasileiras, que ainda adota uma filosofia empresarial ainda bastante conservadora.

Mas eles avaliam que o ambiente proporcionado na Skyline será muito em breve uma tendência comum na grande maioria das empresas, pelo menos as que buscam alto nível de produtividade. “Eu vejo que nesse segmento de tecnologia, de inovação, de áudio-visual, que é o que atuamos, as empresas geralmente trazem esses ambientes mais descontraídos e eu acredito que isso é sim tendência para outros setores. Grandes empresas fora do Brasil já seguem esse modelo há algum tempo. Então é uma questão de mudança de cultura que começa a ocorrer”, salienta Gabriel.


O coworking aposta em novidades, como cafés, vinhos baguetes especiais, além de sobremesas deliciosas


Há três meses, a Smart Collab Mani abriu as portas na QN 406 de Samambaia. No espaço, os clientes contam com vários serviços de manicure e pedicure, escalda pés, design de sobrancelha e depilação, além de um segundo ambiente que funciona como uma espécie de cafeteria/bar. 

O espaço chama atenção pela versatilidade no cardápio. Os destaques estão para as delícias: “De Mani para Mani (R$12)”: baguete de banana com canela e queijo; “Tô de boa hoje, mas...(R$12)”: baguete de presunto e queijo com um molho de tomate temperado de ervas e “Curtindo outra vibe (R$10):  baguete com tomates assados no azeite e alho. 

Além das novas baguetes, o espaço também oferece a tradicional torta de frango com catupiry (R$15). Para os apaixonados por doces, duas opções: “Passei o dia pensando em você” (R$12): uma deliciosa fatia de bolo. Todo dia, um sabor diferente e o “Crush”: Waffes Mani em duas versões: Chocomani ou Melmani. 

Bebidas

Para combinar, uma bebida. Que tal? São várias as opções para saborear: “Antes De Mais Nada, Quero Um Café (R$10): Chocolate, Catucaí Vermelho; “2SL do Horácio (R$20): 
Frutadas, melaço de cana e catucaí Amarelo; “Família TAPERINHA (R$20): Frutas Vermelhas, frutas negras e uva; “Café das Cinco (R$20)”: 
Chá Preto e Frutas Negras, Catuaí Amarelo e “Lote Sete”:
Doce de Leite, Marzipan e Chá Preto. 

Além da vasta variedade de cafés, o espaço também disponibiliza chás mate, bebidas tônicas, cervejas e vinhos.  A primeira opção é o : “To Só O Mate Hoje. (R$15). 
Um chá́ mate saborizado de acordo com o humor do cliente (pêssego, limão, gengibre, maçã verde ou puro);  “Só́ Da Italianinha” (R$15): Base De Tônica Com Saborização; Baer Mate (R$12) e Baer Matchá (R$14)

Agora se você vai voltar pra casa de transporte por aplicativo ou aquela carona amiga, a Mani oferece: Sina (R$18), Cerva Surpresa. (R$22) e os vinhos: Relva Pinot Noir (R$195);  Cartola (R$195); 
Niagara Rosé (R$185); Laranja Peverella (R$200) e a Taça 150ml. (R$25-30 )

 

 

Espaço Mani
Local: QN 406 conjunto F Loja 4 - Espaço Mani
Horário de funcionamento - 9h às 20h

Instagram: @mani.smartcollab



De autoria do vice-presidente da CLDF, deputado Delmasso Republicanos), a Lei nº 6.951 de 20 de setembro de 2021 destina-se a regular os direitos assegurados aos jovens, sem prejuízo do disposto na Lei federal nº 8.069, de 13 de julho de 1990, e nos demais diplomas legais pertinentes

Foto: Rogério Lopes.

O novo Estatuto busca assegurar os direitos de jovens, com idade entre 15 e 29 anos. Segundo o projeto, os jovens são "atores sociais estratégicos para a transformação e melhoria do Distrito Federal juntamente com as suas organizações de caráter político, estudantil, cultural, religioso e desportivo".
 
Pela proposta, a sociedade participará, em colaboração com o poder público, da formação das políticas públicas e dos programas destinados aos jovens, assegurada sua representação em órgãos governamentais destinados a estes fins, cabendo-lhe: I – encaminhar aos poderes constituídos propostas de ações de defesa e promoção dos seus direitos; II – acompanhar e avaliar as ações governamentais e não governamentais dirigidas ao atendimento e melhoria das condições de vida dos jovens; III – participar da proposta orçamentária destinada à elaboração e execução de planos e programas voltados a juventude do Distrito Federal; IV – fiscalizar o cumprimento das prioridades estabelecidas no plano; V – manifestar sobre a conveniência e oportunidade da implementação de ações governamentais visando os jovens.

O Estatuto estabelece ainda que "todos os jovens, como membros da sociedade e moradores do Distrito Federal, têm o direito de ascender e desfrutar dos serviços e benefícios socioeconômicos, políticos, culturais, informativos, de desenvolvimento e convivência que lhes permitam construir uma vida digna".



Luana Machado, nova secretária de Juventude do Distrito Federal, comemora a sanção do Governador. "Para mim é um verdadeiro presente poder estar à frente da pasta nesse momento, é um marco para nós como secretária e para a juventude do Distrito Federal. Agradeço o compromisso do governador Ibaneis, especialmente com os jovens ao sancionar essa Lei e a parceria, sempre atuante do Deputado Delmasso que tem uma trajetória de muita luta pelos interesses da juventude", afirma.

Para Delmasso, essa é uma grande conquista para a juventude da cidade. "Garantir e dar efetividade aos direitos fundamentais como saúde, trabalho, educação e lazer aos jovens é de extrema importância porque sabemos que esses jovens de hoje, serão aqueles que conduzirão o nosso país amanhã, por isso, fazer valer seus direitos é também levá-los ao entendimento que eles também podem e devem cumprir com seus deveres como cidadãos", declara.

Em 2010, após diversas lutas sociais e intensa mobilização da sociedade civil organizada,  a alimentação passou a compor o rol de direitos sociais da Constituição Federal, por  meio da Emenda Constitucional 64. Apesar de parecer simples, esta conquista de ter a comida como direito na nossa Carta Magna, abriu caminho para que essa pauta se tornasse prioridade e ganhasse espaço na agenda política. 

Desde então, tivemos várias vitórias acumuladas graças a força e a união da sociedade em conjunto com as esferas federais, por meio da participação popular e do controle social tão bem exercidos pelo Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA), que defendeu o fortalecimento do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e  Nutricional (SISAN) e o investimento em programas e ações de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN), como o Bolsa  Família, Alimentação Escolar, a aquisição de alimentos e equipamentos públicos para viabilizar este acesso e qualidade, como a criação dos restaurantes populares e bancos de alimentos, entre outras iniciativas. 

Em 2015, o Brasil comemorou a sua saída do Mapa da Fome da ONU. A luta não estava acabada, mas algumas batalhas haviam sido, enfim, vencidas. A partir de 2016, os  brasileiros testemunharam o desmonte das políticas públicas e o enfraquecimento dos espaços legitimados para participação popular e controle social. Em 2019, o governo  mostrou suas intenções políticas, quando extinguiu o CONSEA e ignorou completamente  o problema da fome, e óbvio que uma hora ou outra as consequências desta atitude chegariam.  Eis que logo no ano seguinte, 2020, ela chegou!  

Por conta da pandemia da Covid-19, inúmeros problemas sociais vieram à tona, e um deles foi justamente a alimentação, algo que infelizmente já estava desenhado pelas ações irresponsáveis de um governo que mostrou não se preocupar com a saúde ou a segurança alimentar e nutricional de seu povo. Isso foi exposto em vários nichos, entre os principais as altas taxas de desemprego e inflação que elevaram o preço dos alimentos básicos à mesa do brasileiro, como o arroz, óleo, frango, carne bovina, café, entre outros, ocasionando um grande empobrecimento populacional e, consequentemente, alimentar. Passamos, então, com  tristeza, a ver a prevalência da insegurança alimentar e nutricional aumentar (InSAN).  

Tal situação está sendo tão notória no mundo, que tristemente o Brasil é um dos mais notados. Exemplo disso foi a publicação de um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), sobre o estado da insegurança alimentar e nutricional no mundo, que trouxe a primeira avaliação global sobre os indicadores de SAN desde o início da pandemia. 

O resultado demonstrou que bilhões de pessoas passam fome no mundo e que os níveis leves e moderados de InSAN também estão presentes. Na América Latina e no Caribe, os números chegam a 60 bilhões. Além disso, indicadores como crescimento infantil e sobrepeso, e obesidade entre adultos também apresentaram alterações, evidenciando a necessidade urgente de mudanças. 

O documento traz algumas sugestões de ações que podem ser feitas para o enfrentamento da situação. Uma delas é a transformação dos sistemas alimentares, que afetam diretamente a saúde humana e do meio ambiente. Pensando em alternativas que nós, enquanto sociedade, podemos adotar e participar ativamente, destacam-se as Comunidades que Sustentam a Agricultura (CSA) e as Comunidades Agroecológicas do Bem Viver, que são iniciativas sociais que, com diferentes propostas, promovem o consumo de alimentos orgânicos ou agroecológicos a partir da entrega de cestas nas casas de seus coagricultores e coagricultoras, que são coparticipantes no processo de planejar, plantar e colher comida de verdade, sem agrotóxicos e que respeitam o meio ambiente.

Portanto, não é tempo de desistir e deixar de acreditar. É tempo de criar esperanças  e seguir na luta e defesa do direito à alimentação adequada e saudável para todos, por um finalidade em comum e de grande urgência: um Brasil que volte a comer e deixe de passar fome. 


Por: Bruna Nunes - Nutricionista e Mestre em Saúde Coletiva da Estácio Brasília

 



Marcada para esta quarta-feira (22), das 19h às 20h30, a oficina online faz parte da Maratona AGO de Empreendedorismo Social. As inscrições para a última oficina estão abertas e têm vagas limitadas


Nesta quarta-feira (22), das 19h às 20h30, a AGO Social realiza a oficina gratuita e online “Investimento de impacto”, encontro que vai oferecer dicas práticas sobre como conseguir investimentos para iniciativas que geram impacto socioambiental positivo, sejam elas organizações da sociedade civil ou negócios sociais. As inscrições para participar ficam abertas até o dia 22 pelo site conteudo.agosocial.com.br/maratona.

A oficina vai reunir quem está dos dois lados da moeda: quem investe e quem recebe investimento. O trio de fundadores da AGO Social - Araceli Silveira, Alexandre Amorim e Alexandre Barbosa - vão compartilhar dicas a partir da trajetória como empreendedores sociais e da experiência com a AGO Invest, que investe em negócios que estão no estágio inicial, tendo como requisito o impacto social positivo.

Também participa da oficina o oceanógrafo e empreendedor social Bryan Müller, fundador da Olha o Peixe!, negócios que conecta consumidores e comunidades de pesca artesanal, incentivando um novo olhar para produção e consumo de pescados no litoral paraense.

Conhecimento especializado

O encontro faz parte de uma iniciativa chamada Maratona AGO de Empreendedorismo Social, que, durante o mês de setembro, promoveu uma série de oficinas que também abordou modelagem de negócios e inovação. Paralelamente, a AGO Social também oferece o programa Empreendedorismo Social na Real, trilha de aprendizagem com oito semanas de aulas ao vivo, mentorias individuais e coletivas. Com a primeira turma lotada e representantes de quatro países, houve abertura de mais uma turma, com início previsto para 27 de setembro. As inscrições podem ser feitas em https://cursos.agosocial.com.br/turma/nareal/imersao-online 

Serviço:

Maratona AGO de Empreendedorismo Social - Oficina Investimento de Impacto
Dia 22/09, das 19h às 20h30
Formato online
Inscrições: https://conteudo.agosocial.com.br/maratona

 

Sobre a AGO Social

Criada pelos empreendedores sociais Alexandre Barbosa, Araceli Silveira e Alexandre Amorim, a AGO Social é um negócio que tem a missão de construir uma sociedade de impacto social, por meio de conhecimento, capital e conexões. Oferece formação profissional para quem atua ou quer atuar com impacto social e faz investimento em negócios sociais que estão no estágio inicial, além de fornecer mentorias e acompanhamento. Mais informações em www.agosocial.com.br

A campanha finaliza na sexta-feira (24). Doações devem ser entregues no Colégio Marista Asa Norte (SGAN 702 Conjunto B, Asa Norte).

Uma entre cada quatro meninas brasileiras deixa de ir à escola durante o período menstrual por simples falta de acesso a um absorvente, constatou um levantamento da ONU sobre  pobreza menstrual divulgado em maio deste ano. A média no Brasil é bem maior que a mundial, que é de uma em cada 10 segundo o relatório.

E se estudantes de escolas particulares ajudassem outras alunas, menos favorecidas, a seguir frequentando as salas de aula durante aquela “incômoda” semana mensal? Foi o que decidiu um grupo de estudantes do Voluntariado Marista, quando criou campanha de arrecadação de kits higiênicos para distribuir a meninas e mulheres em situação de vulnerabilidade social, batizada de Projeto Ciclos.

A ideia é combater não só a ausência justificada ao colégio de estudantes pobres durante seus dias de fluxo, mas também os impactos negativos que a falta de acesso aos itens de higiene feminina causa: por recorrerem a materiais inapropriados para conter o sangramento – como jornal, pão velho, folhas de árvores, pedaços de pano -, essas meninas e mulheres ficam sujeitas a alergias e irritações da pele e mucosas, infecções urogenitais como a cistite e a candidíase, e até uma condição conhecida como Síndrome do Choque Tóxico, que pode levar à morte. Tudo isso somado ao dano emocional provocado pela pobreza menstrual.

“Os produtos de higiene feminina são essenciais todos os meses durante anos na vida de uma mulher - mas, mesmo assim, muitas nunca tiveram acesso a um absorvente e precisam lidar com seu ciclo menstrual da forma que conseguirem”, afirma Júlia Persegona, estudante do 3º ano do ensino médio.

“O Projeto Ciclos abriu meus olhos para a situação de pobreza menstrual e me fez perceber que algo tão básico na minha vida é um privilégio, mesmo que não devesse ser. Assim, espero que as nossas arrecadações, consigam ajudar quem precisa lidar com a pobreza menstrual a cada ciclo e trazer mais visibilidade para esse problema”, enfatiza a estudante.

São bem-vindos os absorventes preferencialmente com abas e os lenços umedecidos. Protetores de calcinha tipo care free, absorventes internos e noturnos não serão arrecadados.

Os estudantes voluntários montarão um kit com os absorventes, lenços umedecidos mais panfleto informativo com informações básicas de higiene menstrual e os entregarão para o Instituto Vem Vencer, a cargo da distribuição para as famílias vulneráveis.

Para a vice-diretora pedagógica do Colégio, Luciana Winck, a iniciativa destaca o protagonismo dos estudantes do Colégio. “A campanha e a entrega dos kits não têm caráter apenas assistencial, mas educativo. Isso demonstra a empatia e o olhar sobre a existência do ser humano e suas condições, isso faz parte dos valores trabalhados pelo Colégio e que refletem nas ações dos nossos estudantes”, disse.

Saúde pública e direitos humanos – Desde 2014, a Organização das Nações Unidas (ONU) considera o acesso à higiene menstrual um direito que precisa ser tratado como uma questão de saúde pública e de direitos humanos.

No relatório divulgado em maio, a organização alerta para o fato de que a pobreza menstrual “pode causar desconfortos, insegurança e estresse, contribuindo assim para aumentar a discriminação que meninas e mulheres sofrem. Põe em xeque o bem-estar, desenvolvimento e oportunidades para as meninas, já que elas temem vazamentos, dormem mal, perdem atividades de lazer, deixam de realizar atividades físicas; sofrem ainda com a diminuição da concentração e da produtividade”.

Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde de 2013, do IBGE, a média de idade da primeira menstruação nas mulheres brasileiras é de 13 anos, sendo que quase 90% delas têm essa primeira experiência entre 11 e 15 anos de idade. Assim, a maioria absoluta das meninas passará boa parte de sua vida escolar menstruando.

Com isso, perdem, em média, até 45 dias de aula, por ano letivo, como revela o levantamento “Impacto da Pobreza Menstrual no Brasil”, encomendado por uma marca de absorvente e feito pela consultoria Toluna. O ato biológico de menstruar acaba por virar mais um fator de desigualdade de oportunidades entre os gêneros, conforme enfatizou uma reportagem especial elaborada pela pela Agência Senado.

Voluntariado Marista – O projeto conta com a participação de estudantes dos Anos Finais e do Ensino Médio do Colégio Marista Asa Norte. O Voluntariado busca despertar um olhar mais atento, cuidadoso e generoso sobre as realidades menos favorecidas, com a participação ativa dos estudantes em ações para a vivência da solidariedade.


"O amor contagia" é selecionada em premiação das melhores iniciativas do Ministério Público brasileiro


Créditos: divulgação


A campanha "O amor contagia" é uma das finalistas da edição 2021 do Prêmio CNMP, promovido pelo Conselho Nacional do Ministério Público. A ação é fruto da união das Promotorias de Justiça do Ministério Público do Paraná e Ministério Público do Trabalho com a UFPR (Universidade Federal do Paraná) e a Funpar (Fundação de Apoio da Universidade Federal do Paraná), e contou com o apoio de instituições como Instituto GRPCOM, Grupo Marista, Instituto Positivo, comissão do Terceiro Setor da OAB-PR e associações da sociedade civil organizadas. 

Criada em março de 2020, a campanha "O amor contagia" arrecadou doações para atender demandas emergenciais na área da saúde e apoiar ações e entidades sociais, como lares e asilos. Aproximadamente 130 instituições assistenciais e 60 hospitais foram beneficiados. "A campanha foi muito exitosa! Arrecadou e distribuiu mais de R$17 milhões em medicamentos, insumos hospitalares, EPIs, cestas básicas e kits de higiene. As instituições assistenciais e os Hospitais filantrópicos, que sobrevivem de doações, passam por grande dificuldade nesse momento de pandemia. Com a campanha, conseguimos mobilizar pessoas e empresas que se juntaram à causa, trazendo enormes benefícios para a sociedade paranaense”, afirma a Promotora de Justiça do Ministério Público do Paraná, Karina Anastacio Faria de Moura Cordeiro.

Para a titular da Promotoria de Justiça das Fundações e do Terceiro Setor de Curitiba e coordenadora da Campanha, o expressivo resultado alcançado demonstra a grandeza e a solidariedade da população paranaense, que confiou na política de transparência e governança da campanha, demonstrando que é possível trocar as incertezas e angústias deste difícil momento de isolamento social por atitudes proativas, que visem ao bem-estar da população mais vulnerável. "A seleção da iniciativa como finalista do prêmio do CNMP demonstra que a instituição pode e deve ser um importante agente de transformação social. Somente a junção de esforços de toda a sociedade nos conduzirá por caminhos de fraternidade e menos desigualdades”, avalia Karina.

A premiação do CNMP tem como objetivo dar visibilidade a ações do Ministério Público brasileiro que se destacaram na promoção e efetivação dos objetivos do Planejamento Estratégico Nacional do MP. Neste ano, 535 trabalhos foram inscritos para concorrer ao prêmio, de unidades ministeriais de todo o país. O resultado oficial será divulgado em 14 de outubro, durante solenidade on-line.


O grupo mineiro de pagode Akatu nem se recuperou da surpresa de ver o jogador Neymar Jr. compartilhando um trecho do Encontro de Gerações em sua conta do Instagram, com mais de 160 milhões de seguidores, e já chega outra grande novidade. Na última segunda-feira (20), Thiago Silva, também titular da Seleção Brasileira de Futebol e atleta do Chelsea, na Inglaterra, postou, para os seus 18 milhões de seguidores, parte de outro vídeo do projeto, marcando a banda de Minas Gerais e o cantor Vitinho, que fez uma participação especial.  

O sucesso que o grupo Akatu vem fazendo entre os atletas é a prova de que pagode e futebol combinam muito. O vídeo que foi postado por Thiago Silva é o bloco que traz as músicas Complicado, Só por um momento e Pra ver o sol brilhar, em que os mineiros dividiram o palco com Vitinho. Só este trecho já conta com mais 3 milhões de visualizações e, se depender dos ilustres admiradores do trabalho da banda, os números não vão parar de crescer. Este mesmo trecho foi o divulgado por Neymar Jr., que filmou a tela de um computador que reproduzia canal no YouTube, acompanhado pela palavra "pagodinn" e com o áudio amplificado em uma caixa de som.

O grupo Akatu, uma das maiores revelações do samba e pagode no ano de 2020, vem conquistando cada vez mais espaço no cenário musical nacional. Isso porque, após o lançamento do projeto audiovisual "Encontro de Gerações", em parceria com o Revelação e participações especiais de Xande de Pilares, Liomar e Vitinho, os mineiros seguem crescendo em números nas redes sociais e plataformas digitais. Hoje eles contabilizam mais de 60 milhões de visualizações no YouTube, 10 milhões de streamings e mais de 400 mil ouvintes mensais no Spotify, além dos mais de 250 mil seguidores no Instagram.

De acordo Ângelo (reco e voz), um dos fundadores do grupo Akatu, ter a sua música chegando em todo o país é uma grande realização. "Temos trabalhado bastante e desde a gravação do Encontro de Gerações, com os nossos amigos do grupo Revelação, não paramos. Continuamos focados em levar para o público mais alegria através de nossas canções e ter o reconhecimento de tantas pessoas, como o Neymar, é uma alegria para todos nós. Nunca duvidamos que iríamos conseguimos alcançar mais pessoas, pois nós acreditamos e amamos o que fazemos, mas vemos esse crescimento rápido com surpresa e felicidade", comemora.

Encontro de Gerações

O derradeiro Volume 4, do projeto Encontro de Gerações, foi lançado recentemente. Para fechar com chave de ouro a iniciativa que reúne os grandes nomes do samba e pagode nacional, todos os artistas que participaram da roda de samba se encontram neste último registro a ser disponibilizado. Além dos anfitriões, Akatu e Revelação, os ícones Xande de Pilares e o cantor Vitinho abrilhantam o último bloco com as suas participações mais que especiais. São três vídeos com duas músicas inéditas, que já podem ser acessadas pelo canal do grupo Akatu no YouTube.

Grupo Akatu

Formado atualmente por Angelo (reco e voz), Caique (tantan e voz), Lucas (pandeiro), Lukas Gabriel (voz) e BEG (voz), o Akatu foi criado em 2015 por jovens apaixonados por pagode na capital mineira. Hoje é uma banda em ascensão, que a cada dia ganha mais espaço no cenário musical.

Semente boa e mundo melhor: essas são as traduções do nome de origem Tupi, que hoje ecoa entre o público. Há seis anos, o grupo segue conquistando fãs com o seu pagode animado e irreverente. O show é uma mistura de canções autorais, que já estão na ponta da língua do público que acompanha a banda, e hits do samba e pagode, embalados pelo jeito irreverente e animado que os músicos conduzem a apresentação em cima do palco.

E desde o início da carreira, além de animar os shows, o Akatu sempre esteve focado nas produções de registros audiovisuais. Em 2017, lançou o CD "Meu Momento" e no ano seguinte o DVD "Vamo Cantar". Já em 2020, foram três trabalhos: "Ensaio Akatu", "Akatu Relax" e "Luau Akatu". E agora, para brindar o sucesso do grupo, o "Encontro de Gerações", gravado com o Revelação, sela o início de uma nova fase e a consolidação no cenário nacional.

 

Acompanhe o grupo Akatu na redes sociais

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCZRz1x875YmSEDjkmREKMtQ

Instagram: https://www.instagram.com/akatuoficial/

Facebook: https://www.facebook.com/grupoakatu

 


 


                                                                       Foto Lina Kivaka

Alzheimer é tipo de demência mais incidente entre idosos


Dia Mundial do Alzheimer (21/09) foi criado para dar visibilidade à doença, cuja incidência tende a aumentar em virtude do envelhecimento populacional

 

Em 2020, 13,5% da população do Brasil era composta por idosos, segundo o IBGE. Uma parcela que tende a crescer tanto no país quanto no mundo, em virtude do aumento da expectativa de vida. Os dados tornam ainda mais latente a necessidade de atenção acerca das doenças incidentes entre pessoas idosas, sendo uma delas o Alzheimer. O Dia Mundial do Alzheimer (21/09) foi criado para dar visibilidade a este tipo mais frequente de demência.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, cerca de metade das 2 milhões de pessoas com demência no Brasil têm Alzheimer. No entanto, há uma subnotificação em virtude da imprecisão no diagnóstico ou até mesmo da falta dele.

O que é o Alzheimer?

O Alzheimer é um tipo de demência, isto é, um grupo de sintomas caracterizado pela alteração de pelo menos duas funções do cérebro. Pode afetar a memória, a capacidade de pensamento e outras habilidades mentais. No caso específico do Alzheimer, os sintomas costumam se desenvolver gradualmente ao longo de muitos anos e, eventualmente, tornam-se mais graves, impactando o funcionamento cerebral, bem como a independência do paciente.

Alguns pesquisadores acreditam que as demências sejam as “doenças do futuro”. Isso porque a população idosa está vivendo por mais tempo, fato que aumenta muito as probabilidades de desenvolver alterações nos neurônios. Ou seja, a velhice não causa, mas facilita o desenvolvimento da condição no organismo.

Previsões elaboradas pela Universidade do Porto (Portugal) e pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) determinam que algum tipo de demência deve afetar pelo menos 1/4 da população brasileira com mais de 80 anos daqui a três anos – há dois anos, o Alzheimer já atingia 1,2 milhões de brasileiros.

O que causa o Alzheimer?

Embora ainda não tenha sido possível determinar precisamente as causas exatas do Alzheimer, acredita-se que alguns fatores podem influenciar nos riscos de desenvolver a doença, como o avançar da idade, histórico familiar dessa condição, depressão não tratada, inflamações no cérebro, fatores e condições de estilo de vida associados a doenças cardiovasculares.

Como reconhecer o Alzheimer?

As manifestações iniciais podem passar desapercebidas pelo paciente e familiares, pois os primeiros sinais são pequenos problemas de memória, fato que costuma ser relativamente comum em pessoas de qualquer idade.

“É comum esquecermos coisas do dia a dia, como por exemplo o nome de uma pessoa ou onde guardamos o celular – muitas vezes esses esquecimentos são por falta de atenção. Já o esquecimento que interfere na funcionalidade da pessoa (esquecer de pagar contas, esquecer caminhos conhecidos, esquecer compromissos importantes) podem ser indicativos da doença de Alzheimer. Esquecer de alguma coisa e lembrar depois pode indicar um esquecimento ‘normal’. Esquecer de alguma coisa e esquecer que esqueceu, geralmente indica anormalidade”, explica o neurologista do Hospital Brasília Arthur Jatobá e Sousa.

Existe prevenção?

Como a causa exata do Alzheimer ainda não é clara para os pesquisadores, não há maneira conhecida de prevenir a doença. Porém, alguns hábitos podem auxiliar indiretamente. A prática regular de exercícios é um exemplo, já que pode beneficiar as células cerebrais, aumentando o fluxo sanguíneo e de oxigênio para o cérebro, além de favorecer o bom funcionamento do cor​​ação – estudos de autópsia já demostraram que até 80% dos pacientes com Alzheimer apresentavam doenças cardiovasculares. Uma alimentação saudável, rica em grãos inteiros, carnes magras e alimentos in natura, também pode auxiliar no combate à doença.

O especialista do Hospital Brasília destaca que, como a doença se inicia no cérebro de 20 a 30 anos antes do início dos sintomas, esses tipos de cuidados têm um papel essencial. “Alguns fatores de risco modificáveis incluem hipertensão arterial, diabetes, obesidade, tabagismo, etilismo, isolamento social, depressão, baixa escolaridade e sedentarismo”, pontua.

Quanto ao temor relacionado à hereditariedade do Alzheimer, o médico afirma que, de fato, em uma pequena quantidade de pacientes há uma predisposição com a identificação de mutações genéticas específicas. Esses pacientes geralmente iniciam a doença antes dos 65 anos de idade, situação em que se considera um Alzheimer de início precoce. Porém, na maioria dos pacientes acometidos, a doença se inicia após os 65 anos (Alzheimer de início tardio) e não há ligação com uma mutação genética específica. Por este motivo, é importante, também, seguir as consultas regulares com o neurologista.

Existe tratamento?

Não há tratamento, mas existem medicamentos que podem ajudar a melhorar os sinais de demência em algumas pessoas, agindo como multiplicadores de neurotransmissores do cérebro.

Há também estudos que apontam benefícios aos pacientes com Alzheimer que fazem uso do canabidiol (CBD), uma das substâncias presentes na planta de maconha. Segundo algumas pesquisas, o CBD pode evitar a criação de proteínas malformadas relacionadas ao Alzheimer. Também há associação entre os canabinoides e a proteção às células nervosas. No entanto, ainda não há consenso sobre o uso da substância.

Em junho de 2021, a Food and Drug Administration (FDA) autorizou nos Estados Unidos o uso de um novo remédio contra o Alzheimer. Trata-se do Aducanumabe, desenvolvido pela farmacêutica Biogen, destinado a fases iniciais da doença e a pacientes com demência leve. Segundo a farmacêutica, a expectativa é de que o novo tratamento atrase o declínio cognitivo em até 22%. Ainda não há previsão do uso do remédio no Brasil.



O sabatinado relatou experiência com auditoria hospitalar e enfatizou a importância do planejamento estratégico para evitar diversos problemas que o Iges está enfrentando


A indicação de Gislei Morais de Oliveira para ocupar o cargo de diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF) foi aprovada pela Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC) da Câmara Legislativa na tarde desta segunda-feira (20). O indicado pelo governador Ibaneis Rocha assume o cargo no lugar de Gilberto Occhi, que pediu exoneração no último dia 30. Transmitida ao vivo pela TV Web CLDF e pelo portal da Casa no Youtube, a audiência pública de arguição foi mediada pela presidente da CESC, deputada Arlete Sampaio (PT), com a participação dos deputados Delmasso (Republicanos), Jorge Vianna (Podemos), Guarda Jânio (PROS) e Leandro Grass (Rede).

No cargo de superintendente do Instituto de Cardiologia do DF até a última sexta-feira (17), Gislei Oliveira, mais conhecido como general Gislei, atuou como superintendente administrativo, diretor administrativo e diretor de Planejamento do Iges, entre abril de 2019 a outubro de 2020, além da carreira no Exército, onde ingressou em 1973. O Iges-DF é responsável pela gestão dos hospitais de Base e de Santa Maria e pelas Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) de Ceilândia, Núcleo Bandeirante, Recanto das Emas, Samambaia, São Sebastião e Sobradinho.

Ao se dizer contrária ao modelo do Iges, a deputada Arlete Sampaio criticou a divisão do Sistema Único de Saúde (SUS).Pelo seu posicionamento, a deputada declarou: "Embora estejamos aqui para aferir se a pessoa indicada pelo governador tem condições de assumir a gestão do instituto, isso não significa que somos cúmplices dessa indicação, a responsabilidade é exclusiva do governador".

Aos diversos questionamentos e apontamentos sobre falhas na gestão financeira e administrativa do instituto feitos pela parlamentar, Gislei considerou que "o modelo não é ruim", uma vez que os contratos devem ser acompanhados em várias estâncias, como os conselhos de administração e fiscal, e por órgãos de controle, a exemplo do Tribunal de Contas do DF. No entanto, ele concordou com a possibilidade de que esse mecanismo "não esteja funcionando".

Em linha tangente, o deputado Jorge Vianna lembrou que o general Gislei é o quarto presidente do instituto sabatinado pela CESC. "Parece que estamos escolhendo errado, mas, na realidade, não escolhemos, apenas avaliamos o currículo a fim de analisar se a pessoa tem condições técnicas de gerir o instituto", esclareceu. O distrital alertou, ainda, que os parlamentares são cobrados pela população por essa chancela à indicação, ao acrescentar que "a cada dia, o Iges se afunda no mar de denúncias e falta de gerência". Para ele, o modelo do instituto deveria ser alterado para fundação, a exemplo da Fundação Hemocentro. Vianna chamou a atenção para a ausência de formação na área de saúde do indicado, a quem fez diversos questionamentos.

Uso político da saúde

Gislei disse que tem condições de fazer gestão em saúde, embora não seja médico, e citou sua experiência em auditoria hospitalar durante sua carreira no Exército. Ele enfatizou a importância do planejamento estratégico, peça que define os princípios e valores da instituição, e que evitaria, segundo ele, diversos problemas que o Iges está enfrentando hoje. "A política de saúde é uma oportunidade que todas as organizações hospitalares têm para fazer uma boa gestão porque cria diretrizes estratégicas e regras", avaliou. Por outro lado, ele enfatizou que "o uso político da saúde é o grande problema e uma ameaça para as instituições de saúde". Ele entende que não adianta trocar de gestor enquanto a organização de saúde não estiver alheia ao uso político.

Ao responder às indagações de Vianna, Gislei disse ser favorável ao uso do cartão corporativo com transparência. Sobre a compra de materiais hospitalares e gerência de pessoal, entre outros, o general considera que vale a "disciplina em seguir regras e normas".

Caos administrativo e financeiro

Irregularidades e nepotismo dominam o Iges, na avaliação do deputado Leandro Grass (Rede), que criticou o uso do cartão corporativo, "uma farra com o dinheiro público". Para ele, o instituto acolhe indicações políticas desde o início, prática que permanece atualmente em vários âmbitos. Entre outros exemplos do "caos administrativo e financeiro", Grass apontou a dívida de mais de R$ 350 milhões, e questionou onde haverá cortes para sanar o problema. O deputado solicitou o envio dos relatórios de auditoria do instituto a CLDF e cobrou prazos.

Em sua declaração de voto, Grass justificou sua rejeição à indicação por entender que o instituto deva ser extinto, mas deixou claro que sua posição não é sobre a pessoa do general, mas sim em referência ao Iges. "Só tem uma maneira de pagar dívida, que é gastar menos, temos que ver onde reduzir", considerou Gislei, ao alegar que "é muito difícil para quem está chegando" dar respostas e estipular prazos. Ele defendeu medidas estruturantes e responsabilização. "Quem conhece o militar, sabe que ele não compactua com fraude e violação", afirmou.

Controle e transparência

Por sua vez, o deputado Delmasso (Republicanos) lembrou que é defensor do modelo adotado pelo Iges, o qual precisa ser aperfeiçoado na área de controle e transparência. Nesse sentido, ele indagou o indicado sobre o planejamento a fim de aumentar o controle e a transparência na gestão de contratos daquele instituto. "Precisamos melhorar a automatização dos processos", respondeu Gislei, ao observar que a estrutura de compliance, entre outras de controle institucional, está montada, sendo que falta colocá-la em adequado funcionamento. Já o deputado Guarda Jânio cobrou mudanças no instituto e recomendou humanização e dignidade no atendimento diário.

Além da "Arena Gamer Fujioka" clientes contarão com promoção especial e sorteio de oito PlayStations 5



Alô, criançada e gamers de plantão! A data mais animada do calendário infanto-juvenil é recebida pelo Taguatinga Shopping com uma explosão de surpresas. Entre os dias 23 de setembro e 14 de outubro, a diversão estará garantida pela Arena Gamer Fujioka, um evento gratuito que oferece ao público os mais variados jogos de PlayStation 5, Xbox Series X e PCs Gamers, além de uma exposição com os principais produtos do mercado gamer.

Em paralelo à atração, clientes contarão com a promoção de Compre e Concorra, que sorteará oito PlayStations 5. Funciona assim: entre os dias 1 e 15 de outubro, a cada R$ 250 em compras, o público terá direito a um cupom para concorrer aos PS5. Para conforto e segurança de todos, a promoção e troca de notas segue 100% online, por meio do aplicativo WYNK.

"Celebraremos a data com um leque de atividades e promoções para a criançada e suas famílias. Além de presentear o público com o sorteio de oito PlayStations 5, também convidamos nossos clientes a praticarem a solidariedade doando amor por meio da arrecadação de brinquedos no mês de outubro. Juntos, podemos fazer grandes mudanças!", afirma Maíra Garcia, gerente de marketing do Taguatinga Shopping.

Mundo Gamer
Já pensou em ter seus jogos favoritos num só lugar? Essa é a proposta da Arena Gamer, desenvolvida pelo Taguatinga Shopping em parceria com o Fujioka. O evento é gratuito e aberto para toda a família. No local, participantes contarão com um amplo espaço reservado para a diversão no mundo dos consoles. As sessões ocorrerão com intervalo médio de 10 minutos, todos os dias, no horário de funcionamento do shopping.

Para participar, basta retirar os ingressos no Balcão de Informações do evento mediante pré-agendamento na própria Arena Gamer, localizada na Praça Central. Com o objetivo de manter os protocolos de segurança, a participação está sujeita a lotação do horário.

Período: 23 de setembro a 14 de outubro de 2021                          
Local: Praça Central do Taguatinga Shopping
Evento gratuito mediante agendamento no local.
Promoção on-line e Troca Notas


A troca de notas será realizada de forma totalmente on-line, por meio do aplicativo "WYNK", assim como o sorteio dos prêmios, realizado por meio de extração da Loteria Federal, seguindo todas as normas exigidas pelo Ministério da Fazenda, via SECAP – órgão regulador das promoções comerciais. Compras na loja Fujioka dão direito a cupons em dobro na promoção.

O sorteio dos oito PlayStations 5 ocorrerá no dia 16 de outubro e o resultado da promoção será divulgado no site e nas redes sociais do Taguatinga Shopping e no aplicativo "WYNK".
Confira o regulamento da promoção e outros detalhes em www.taguatingashopping.com.br.

Período: 01 a 15 de outubro de 2021    
Troca de notas pelo aplicativo WYNK
Mecânica: a cada R$ 250,00 em compras no Taguatinga Shopping = 1 cupom para concorrer a 8 PlayStations 5
Data do sorteio: 16 de outubro de 2021
Dia das Crianças solidário


Como de costume, a solidariedade não poderia ficar de fora dessa data que celebra a alegria, a infância e o amor. Este ano, o TGS Solidário apoia duas campanhas arrecadando brinquedos, roupas e calçados para crianças e famílias em situação de vulnerabilidade social. As doações serão destinadas às campanhas e também aos projetos cadastrados na plataforma de voluntariado.

 Confira como ajudar:

- A campanha Vem Brincar Comigo arrecada brinquedos novos ou usados, em boas condições, até o dia 30 de setembro. Interessados podem fazer suas doações no Balcão de Informações, Piso 1, no Taguatinga Shopping.

- Em parceria com o SESC – DF e com o Mesa Brasil, o TGS Solidário uniu forças à campanha Compartilhe alegria e transforme a vida de quem precisa, que arrecadará, de 2 a 29 de outubro agasalhos, cobertores e peças de roupa para doação. As entregas também podem ser feitas no Balcão de Informações, localizado no Piso 1, no Taguatinga Shopping.

Quando a gente se junta, tudo muda!
Serviço do Taguatinga Shopping:
Site: www.taguatingashopping.com.br
Redes Sociais: Instagram – Facebook – Youtube
Informações: (61) 3451-6000

Sobre Taguatinga Shopping: Inaugurado em novembro de 2000, o Taguatinga Shopping é um empreendimento das Organizações PaulOOctavio e da JC Gontijo Engenharia. É um dos maiores centros de compras do Distrito Federal, tendo como principal reflexo a geração de 2,5 mil empregos diretos. A área total construída do empreendimento – que engloba shopping center, duas torres com 330 salas comerciais e seis pisos de estacionamentos com 2,5 mil vagas cobertas – totaliza a marca de 160 mil m² de área construída, que abrigam 250 operações comerciais, com qualificado mix de produtos, serviços e entretenimento, distribuídas em quatro pisos. O empreendimento é importante referência de consumo para toda a família, e recebe público de 1 milhão de pessoas por mês, em média. É o shopping center mais lembrado pela população do DF, segundo pesquisas realizadas pelo prêmio Top of Mind, no qual foi agraciado em doze edições. Atualmente, desenvolve o projeto Taguatinga Shopping Solidário, com diversas ações que promovem a cultura de voluntariado, consciência de cidadania e mobilizam pessoas e recursos para o bem coletivo.

Recursos para rodovia alcançam R$ 25,4 milhões. Goinfra destina R$ 12,6 milhões em reforma da GO-437. Também foram gastos R$ 5,4 milhões na recuperação da GO-222, mais de R$ 2,1 milhões na revitalização do aeródromo e R$ 1,8 milhão em investimento no Daia


Além do lançamento da reconstrução da GO-330, também foram entregues escrituras para 50 famílias que moram no bairro Morada Nova, em Anápolis. "As obras estão saindo, em ritmo acelerado, com dinheiro depositado em caixa", afirmou governador (Foto: Cristiano Borges)

O governador Ronaldo Caiado assinou, nesta segunda-feira (20), em Anápolis, ordem de serviço para a restauração de 34,2 quilômetros da GO-330. O empreendimento sob responsabilidade da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) irá contemplar o trecho do entroncamento com a BR-060 ao da GO-010, que inclui o eixo principal do Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia). O investimento, previsto em R$ 25.417,549,56, vem do Tesouro Estadual. Na oportunidade também foram entregues escrituras para 50 famílias que moram no bairro Morada Nova.

Os investimentos do Governo de Goiás na infraestrutura do município chegam a mais de R$ 47,4 milhões "As obras estão saindo, em ritmo acelerado, com dinheiro depositado em caixa", salientou Caiado. "Todos nós temos que reconhecer as ações da Goinfra, que tem trabalhado dia e noite, sábado e domingo, atendendo às necessidades do Estado. Vocês estão dando autoestima para o povo goiano", completou.

"A obra começa oficialmente amanhã, dentro daquela linha de a gente não vir aqui soltar foguete e simplesmente frustrar a expectativa das pessoas. A equipe se faz presente, já pronta e mobilizada", assegurou o presidente da Goinfra, Pedro Sales. "A gente não veio aqui aterrar córregos e criar elefantes brancos, mas sim tentar corrigir esses problemas e reestruturar a cidade com as nossas obras", completou.

Regularização fundiária
No mesmo local, o governador ainda fez a entrega de escrituras para 50 famílias do bairro Morada Nova, que esperaram quase 20 anos pelo documento. "Com todos esses investimentos, o que mais me alegrou, tocou meu coração aqui neste local foi o momento em que essas famílias ouviram que receberiam a escritura definitiva de suas casas. A alegria no olhar e a emoção de cada um que, há 17 anos, espera o que é fundamental: ter a certeza do direito de propriedade", ponderou Caiado.

"Graças a Deus estamos com nossa propriedade em mãos", celebrou Maria Elisabete Souza da Silva. "Esperamos firmes e fortes, mas hoje chegou o dia, muita alegria", afirmou Aline Dias da Silva. "Nem trabalhar eu vou (risos). Vou ficar zelando da minha casinha, cuidando dos netinhos", brincou Maria Aparecida Soares dos Santos Freitas.

Na área de regularização fundiária, foram entregues na atual gestão 3 mil escrituras e outras 4,5 mil estão em andamento. Já foi autorizado, pelo governador Ronaldo Caiado, o investimento de R$ 15 milhões, recursos provenientes do Fundo de Proteção Social do Estado de Goiás (Protege), para que o programa de regularização fundiária urbana avance em todo o Estado.

"Com todos esses investimentos, o que mais me alegrou e tocou meu coração aqui neste local foi o momento em que essas famílias ouviram que receberiam a escritura definitiva de suas casas. A alegria no olhar e a emoção de cada um que, há 17 anos, espera o que é fundamental: ter a certeza do direito de propriedade", ponderou Caiado (Foto: Cristiano Borges)

Mais obras em Anápolis

Os investimentos do Governo do Estado na infraestrutura de Anápolis chegam a mais de R$ 47,4 milhões. Além da reconstrução da GO-330, o Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), destinou ainda R$ 12,6 milhões para a reforma da GO-437, trecho de 35,1 quilômetros que liga os municípios de Anápolis e Gameleira.

Outra rodovia importante para Anápolis, a GO-222 foi reconstruída e recebeu nova sinalização em 33,2 quilômetros, que ligam à Nerópolis. Somente nesta obra os investimentos foram de mais de R$ 5,4 milhões.

A Goinfra também investiu R$ 2,1 milhões na revitalização do Aeródromo de Anápolis. Dinheiro destinado para a melhoria do asfalto do pátio de aeronaves, da área de taxiamento, da pista de pouso e a nova sinalização horizontal. A Agência recuperou ainda uma área que estava sendo degradada por uma erosão na margem do Rio Extrema, no anel viário do Daia, um custo de R$ 1,8 milhão.

Investimentos do Governo de Goiás na infraestrutura de Anápolis chegam a mais de R$ 47,4 milhões "Todos nós temos que reconhecer as ações da Goinfra, que tem trabalhado dia e noite, sábado e domingo, atendendo às necessidades do Estado. Vocês estão dando autoestima para o povo goiano", ressaltou o governador (Foto: Cristiano Borges)

Presenças
Também estiveram presentes os secretários de Estado Tony Carlo (Comunicação), Fátima Gavioli (Educação), Rodney Miranda (Segurança Pública); o presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, Lissauer Vieira; o prefeito de Anápolis, Roberto Naves; os deputados estaduais Coronel Adailton e Amilton Filho; o comandante-geral da Polícia Militar de Goiás, coronel Renato Brum; o superintendente de Segurança Escolar e Colégio Militar, Coronel Mauro Ferreira Vilela; o reitor da Universidade Estadual de Goiás (UEG), Antônio Cruvinel Borges Neto; comandante da Ala 2 (Base Aérea de Anápolis), coronel aviador Gustavo Pestana Garcez; representante do Exército, subtenente Gomes; comandante de ensino da Polícia Militar, Coronel André Willian; atual diretora do CEPMG Senador Onofre Quinan, professora Guaraci Eterna de Rezende, e o sucessor, major Cremildo da Silva Santos.

Ainda o vice-prefeito de Anápolis, Márcio Cândido; prefeitos José Aparecido Diniz (Abadiânia); Allysson Lima (Alexânia), Wilson Tavares (Gameleira de Goiás), Felipe Dias (Orizona) e Samuel Cotrim (Vianópolis); coordenador regional de Educação (CRE), Luciano Almeida Pereira; padre Daniel, representante o bispo dom João Wilk; vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Anápolis, Admir Luchetti; banda musical do CEPMG Doutor César Toledo, sob regência do maestro Cássio Reis.

Ainda os diretores da Agehab Luiz Sampaio, Priscila Tejota, Lucas Gouveia e Valderi Borges; o diretor técnico da Codego, Fabiano Lopes de Mendonça; o administrador do Daia, Marlon Caiado; o diretor jurídico da Agência Reguladora de Anápolis, Fabrício Lopes da Luz; comandantes coronel Munildo Gonçalves de Miranda (PMGO), Coronel Ricardo Silveira Duarte (Corpo de Bombeiros) e delegado Vander Coelho, além de empresários, funcionários, vereadores.

As tecnologias têm trazido bastante comodidade na vida das pessoas. No entanto, nem todos os setores da economia conseguem garantir a confiança para o consumidor através de um robô digital. E quando o assunto é negociação de imóveis, seja para comprar, vender ou alugar, a atuação humana é indispensável, conforme apontam Glauce Santos e Dyogo Vieira, diretores da RE/MAX Rio de Janeiro – Zona Norte, regional da maior franquia imobiliária do mundo. Eles destacam que, mesmo com todo o movimento que existe a respeito da substituição do profissional em negociações por aplicativos, nada sobressai sua expertise, conforme posicionamento do sistema COFECI-CRECI, que já alertou que qualquer nova unidade imobiliária tem o dever de obedecer aos parâmetros estabelecidos pela lei nº 6.530 para o funcionamento. Ou seja, no que diz respeito ao atendimento aos clientes, de acordo com o artigo 3º, só pode ser feito por profissionais corretores de imóveis.

Para Glauce Santos, a presença física do profissional é imprescindível para uma transação imobiliária segura e confiável para ambas as partes. "É importante ter o corretor de imóveis para esclarecer pontos e trazer mais clareza para o cliente. Entendo que a popularização da internet mudou sim os hábitos de compra do consumidor, não só no mercado imobiliário, mas em todos os setores da economia. No entanto, na metodologia adotada pela empresa, essa revolução tecnológica é vista apenas como aliada e parceira, e não como o foco principal dos negócios. Sabemos que muitas pessoas, hoje, utilizam os smartphones e com os clientes imobiliários isso não é diferente, já que boa parte deles fazem esse primeiro contato e busca através do celular pelos sites e internet. Todavia, a segurança para o fechamento de um negócio é conquistada através do atendimento pessoal do corretor com o cliente. Ou seja, frente a frente", comenta a diretora.

Já para Dyogo Vieira, um pouco diferente do que é visto em todo o Brasil, onde a imobiliária é o ponto de apoio ou referência para o cliente, na RE/MAX o corretor é o grande condutor e especialista do negócio. Por isso, ele lembra que as novas tecnologias são importantes para agregar ao método já utilizado, mas jamais dispensam a atuação do profissional. "Com o passar dos anos, temos tido cada vez mais tecnologias para ajudar a vida das pessoas, como esses de imobiliárias que sempre vão existir. No entanto, nós as vemos como facilitadoras do processo do trabalho e do contato com o cliente, mas não como um substituto dele. Para nós, nada conseguirá substituir, verdadeiramente, o papel de um profissional corretor de imóveis que, além de ter toda a sua expertise no negócio, tem uma rede de networking que não é encontrado através de um aplicativo, até porque os aplicativos são programados, não pensam e agem como um humano", diz o diretor.

Qualificação sempre

Sempre antenada no que acontece para alavancar ainda mais o seu crescimento, a empresa investe na qualificação constante de seus corretores associados por meio da Universidade RE/MAX Brasil, plataforma on-line com funcionamento 24 horas por dia, 7 dias por semana, e a Academia RE/MAX, com treinamentos mensais e semanais, tanto presenciais, quanto via Google Meet, para os franqueados, Agentes e staffs da regional Zona Norte carioca. Há ainda a Escola RE/MAX, com treinamentos in-loco oferecidos pelos franqueados aos seus Agentes RE/MAX, sem contar com outras plataformas da rede mundial, que oferecem cursos via web em diversos idiomas.

Para Glauce Santos, a excelência do corretor no atendimento ao cliente e relacionamento com os demais colegas dão garantia à profissão diante das inovações tecnológicas. "As novas tecnologias são importantes, mas não devem ser uma preocupação para os corretores atuantes, e sim um desafio. A única forma que eles têm de neutralizar essas intermediações através de aplicativos, se é que isso tem como mesmo, é se mostrar, e ser, cada vez mais, imprescindível nessa intermediação. Ou seja, demostrando ao cliente que está preparado e sempre bem capacitado para entender e atender as necessidades que ele procura. Por isso, na Universidade RE/MAX sempre oferecemos cursos que englobam exatamente as necessidades de mercado", concluem os diretores da regional carioca.

Sobre a RE/MAX

Com 48 anos de atuação, a RE/MAX é uma franquia americana que ganhou notoriedade mundial e se tornou referência em negócios imobiliários em todo o planeta. A marca chegou ao Brasil em 2009, mas hoje a franquia já alcançou 124 países, presente em todos os continentes, com mais de 137 mil corretores em mais de 8.600 unidades franqueadas. A Zona Norte do Rio de Janeiro passou a ter uma regional em 2018, que, só naquela região, conta com oito franquias.

O direcionamento da RE/MAX está presente no lema: "todos ganham", uma máxima que tem permitido a sua liderança, conquista e reconhecimento do mercado. Com esse conceito, a RE/MAX revolucionou o mercado imobiliário. Este sistema permite recrutar e reter os melhores profissionais do mercado, ter equipes motivadas e produtivas, diminuir a rotatividade dos corretores e prestar o melhor serviço aos clientes.

Mais informações: https://remaxriodejaneironorte.com/    


Boazinhas

Melhores