Nesta sexta-feira (06/08) é celebrado o Dia Internacional da Cerveja. Duas marcas utilizam a raiz como matéria-prima para a fabricação de cervejas goianas. Além da parte industrial, a produção estimula e fortalece a agricultura familiar no Estado


Foto: Célio Oliveira.

Nesta sexta-feira (06/08) é celebrado o Dia Internacional da Cerveja. Neste ano, os goianos podem comemorar de forma ainda mais especial, apreciando as bebidas criadas no Estado que utilizam a mandioca como matéria-prima para a fabricação da cerveja.

Atualmente, são duas marcas goianas produzidas a partir da fécula da mandioca: Esmera de Goiás, da Ambev, e Rensga, da Cervejaria Colombina. Além de envolver a parte industrial, a produção das bebidas estimula e fortalece a agricultura familiar no Estado.

Desenvolvido pelo Governo de Goiás, o Projeto Cerveja de Mandioca já contribuiu para que pequenos produtores rurais, em todas as regiões do Estado, pudessem comercializar 1,45 mil toneladas da raiz, em 2021, para a fabricação da Esmera de Goiás, lançada em dezembro de 2020 pela Ambev. Até o momento, 800 famílias foram beneficiadas, desde produtores, arrancadores e transportadores, em 24 municípios goianos.

Já no caso da produção da cerveja Rensga, foram duas toneladas de fécula de mandioca adquiridas pela Cervejaria Colombina, desde janeiro de 2021. A matéria-prima foi comprada da Associação dos Agricultores Familiares de Bela Vista de Goiás (Afabev) e da Cooperativa Mista dos Pequenos Produtores de Polvilho e Derivados da Mandioca da Região do Cará (Cooperabs). Com isso, foram impactadas positivamente 50 famílias integradas, sendo 20 da Afabev e 30 da Cooperabs.

O Projeto da Cerveja de Mandioca foi criado para fortalecer a cadeia produtiva da mandioca, gerar emprego e renda no Estado, além de fazer parte das ações de fortalecimento da economia no período de pandemia da Covid-19. A ação envolve Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Secretaria da Retomada e Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), além do Gabinete de Políticas Sociais (GPS).

Atuação
O trabalho tem sido realizado para contribuir com o mapeamento das áreas com potencial para fornecer a mandioca, divulgação junto aos produtores e acompanhamento do processo produtivo. "O foco tem sido estimular a produção e criar oportunidades de comercialização. Isso permite a geração de renda entre os agricultores familiares, incentivando as áreas econômica e social", enfatiza o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça.

O superintendente de Produção Rural Sustentável da Seapa, Donalvam Maia, acrescenta que a parceria com cervejarias, em Goiás, foi uma das primeiras iniciativas para buscar o fortalecimento de agricultores familiares envolvidos nessa cadeia produtiva, especialmente aqueles em situação de vulnerabilidade social. "O agro tem mais motivos para celebrar o Dia Internacional da Cerveja. Primeiro, porque a data é relacionada a um produto que tem representado a oportunidade para que pequenos produtores possam obter e ampliar renda. Em segundo, porque a cerveja é tipicamente um item que faz parte da cadeia do agronegócio, pois envolve diferentes matérias-primas do setor em sua fabricação, como mandioca e trigo, por exemplo", informa.  

O secretário da Retomada, César Moura, destaca o papel social e econômico promovido pelas duas cervejarias que aderiram ao Projeto da Cerveja de Mandioca. "Condicionar a compra de mandioca plantada por agricultores familiares goianos para produção de cerveja é uma iniciativa que beneficia a empresa, mas causa impacto positivo muito maior nas pessoas e nas comunidades onde elas vivem, por levar renda e desenvolvimento regional", ressalta César.

Fortalecimento
O presidente da Emater, Pedro Leonardo de Paula Rezende, ressalta que o projeto atende um dos principais gargalos dos pequenos produtores, que é a comercialização. "Eles têm toda a expertise da produção, produzem com qualidade, mas têm dificuldade no momento da venda. Essa é uma das razões deste projeto ser tão especial para a nossa agricultura familiar".

Ele explica que para fomentar a cadeia e dar mais condições de produtividade e lucratividade às famílias, o Governo de Goiás, por meio da Emater, oferta assistência técnica gratuita, desenvolve pesquisas que ofertarão a esse público uma mandioca ainda mais produtiva e rentável e disponibiliza aos produtores acesso a linhas de crédito rural para investimentos nessa e em outras culturas. "Tudo isso com o único objetivo de transformar a vida das famílias rurais goianas por meio da geração de renda", finaliza.
Compartilhar:

Paulo Melo

Comente:

0 comentários

Boazinhas